CineReforma - Em Defesa de Cristo

CineReforma - Em Defesa de Cristo

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Não quero dinheiro, eu só quero amar, só quero amar, só quero amar...





por Haroldo Ferris
adaptado por Rodrigo Toledo

O irmão Tim, sabia das coisas... No mais puro espírito cristão ele cantava essa pérola; e antes que comecem as pedras eu explico:

Lá no Velho Testamento, ainda não existia a Bíblia, nossa regra de fé, e por conta disso, na ausência do marketing de massa existiam muitos produtos no mercado: Baal, Zebulom, Tupã e mais de 1 milhão destes só na Índia, é a tal busca por um ser superior que Nietzche tanto odiava.

Então, pra que todos os outros povos reconhecessem quem era o Deus de Israel, ele ia abençoando seu povo com grana, poder, uma forcinha numa guerra aqui outra ali... Desde que fossem obedientes é lógico. E a história foi se construindo com o Deus de Israel, na pegada de Deuteronômio 22," e serás rico e emprestarás a muitos..." a turma da época era meio São Tomé, só acreditava na benção vendo, se o cabra fosse rico coisa e tal. O caso de Jó é emblemático, na mão do capeta ficou pobre e doente, após a vitória, Deus lhe restituiu tudo (além de saúde, muita, mas muita grana!!!). Tava bom assim né?! Pois é, só que Deus tinha outros planos... Desceu Ele próprio para explicar melhor esta questão...

Aos poucos amigos que lêem meus textos, não preciso explicar: Jesus nasceu pobre, andou com os pobres, (Zaqueu era pobre de espírito! antes que me corrijam...he he), no seu ministério não fundou denominações nem as conduziu com mão de ferro, não comprou o jornal da época nem a TV Roma, e sempre disse que não havia mais a relação entre ficar rico e ter a benção de Deus, em várias passagens foi até enfático como com o jovem rico, quando disse - Venda tudo quanto tem, dê aos pobres, e me segue...

Eu queria que me mostrassem apenas um vivente no Novo Testamento que depois que resolveu seguir a Cristo tenha ficado rico... muito pelo contrário, a maioria dos apóstolos morreu na pindaíba...

Max Weber escreveu um livrinho interessante sobre a ética protestante, lá ele fala que nós protestantes não somos como os católicos (daquela época) que creditavam o sucesso ou insucesso a ordem divina e que buscamos realização profissional e financeira pelas coisas naturais... Mas hoje muitos de nossos irmãozinhos neo-pentecostais acham que Deus vai dar uma forcinha para "abrir os celeiros dos céus";

Prefiro pedir e agradecer o que ele dá: Saúde, inteligência e paz, e correr atrás. Não vou ficar a vida inteira esperando o milagre tipo mega-sena.

Pra quem quer ter grana, meu conselho de ouro atual: Abra uma empresa, ou um banco, na pior das hipóteses estude muito para medicina ou concurso federal.... Sempre pedindo sabedoria e saúde para nosso Deus...

Aí tem uma geração de frustrados nas igrejas, que pelo simples fato de não terem muita grana acham que não são abençoados, ou que estão passando provação...

Só para encurtar a conversa, se benção e salvação tem a ver com uma vida boa aqui na terra, não vamos mais pregar em Bangladesh, pois 90% da população está abaixo da linha da pobreza, e só terão essas bençãos tipo, carro novo, casa, TV de LCD daqui há um século! Podem nos acusar de propaganda enganosa...

Antes de terminar, parafraseando Boris Casoy... pastores televisivos amealhando milhões com a fé alheia.... é uma vergonha!!!

Nada contra enriquecer, mas uma coisa é você ralar, produzir, vender, outra coisa é receber dízimos como renda...comprar jatinho com doação de fiéis é dose pra leão.

E pra terminar, a oração do cínico: "Deus, obrigado pelo meu carro importado, minha casa na praia e pelas picanhas que como sem dor na consciência, valeu mesmo! Me ajudou em tudo!"

postado originalmente em: http://www.genizahvirtual.com/2010/06/nao-quero-dinheiro-eu-so-quero-amar-so.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário