CineReforma - Em Defesa de Cristo

CineReforma - Em Defesa de Cristo

terça-feira, 3 de agosto de 2010

REAL BELEZA!





por Rodrigo Toledo

A algum tempo observo o comportamento humano... e como as grandes metrópoles vêm abafadando a individualidade dos jovens! Vêm roubando nosso direito de parar, olhar, pensar, e gostar!


Seis da manhã. O despertador dá o seu grito tirano... e tudo o mais é só correria. Os mais lindos jardins (que causariam inspiração em da Vinci ou em Michelangelo) já não nos causa admiração. Pôr-do-sol não mais atraí nossa atenção... apenas a correria. A beleza de uma caminhada antes do trabalho com amigos dá lugar a calculadora e prancheta. A beleza de fazer boas ações aos menos favorecidos dá lugar à preocupação em chegar cedo e sair tarde.

Ah, se os jovens pudessem perceber a verdadeira beleza que há neles... a força, o vigor, a vivacidade, os olhos brilhantes e sonhadores, a vontade de vencer! Mas parece que tudo isso lhes é usurpado pelos grandes e exigentes centros. Adolescentes e jovens, de um modo geral, perderam a noção da verdadeira beleza.


Querem a todo custo chamar a atenção, pintando o cabelo de verde, colocando um ou dois piercings, fazendo uma ou outra tatuagem, colocando prótese de silicone, etc. Alguns aderem até mesmo a religiões extravagantes. E tudo isso só para chamar a atenção.


O resultado agente vê: muito dinheiro, tempo e energia gastos em plásticas e moda. Esqueceram da beleza que há na simplicidade de um sorriso; no charme estonteante que há em algumas sardas; no olhar penetrante de "eih você, seja bem-vindo, quer ser meu amigo?".

Nos esquecemos de como é bom sentarmos com pessoas queridas e tomarmos um chá. Fomos engolidos pela correria... então, como resolver esse dilema? Na minha opinião, essa é uma questão delicada e merece nossa atenção. Precisamos cultivar novamente os bons princípio bíblicos e voltarmos ao que realmente importa: os sorrisos, os abraços, os olhares acolhedores de "bem-vindo", as sardas (rsrsrs)...

É, eu sei, tenho meus defeitos físicos... sou gordinho, minha barba arranha se eu deixá-la crescer, e calço um "senhor" de um 44 (rsrsrs). Mas, quer saber, tenho defeitos piores que esses. Não conseguí ser um bom filho para os meus pais; não consegui ser um bom colega para meus companheiros na escola; não fui um bom irmão; e ainda não consegui alcançar um padrão adequado de marido perfeito (mas eu chego lá!). Mesmo assim, minha esposa me ama!

Ah, a minha esposa. Ela também têm esses "defeitinhos" que costumam ser combatidos pela cultura massificada e pragmática. Usa óculos, tem algumas sardas no rosto, é pequenininha, e gasta mais que o necessário com sapatos (rsrsrs). Mas eu amo tudo que há nela... ela consegue ficar mais bonita com os óculos, e as sardas... ah, aquelas sardas, são mesmo estonteantes! Seu espírito é jovem e contagiante, tem força de vontade. Os olhos dela brilham quando busca o que quer!

Digo sim, definitivamente, para a verdadeira beleza, o caráter, o respeito, e especialmente, à beleza de servir a Cristo.

Pronto, falei!







Nenhum comentário:

Postar um comentário