CineReforma - Em Defesa de Cristo

CineReforma - Em Defesa de Cristo

segunda-feira, 9 de abril de 2012

MMA: Algumas Verdades Que Alguns "Crentões" Precisam Ouvir!!!









Comentário do Reforma Agora: já estou empapuçado desses comentariozinhos "emo" do tipo "ai, é violento"; "ai, saiu sangue"; etc.

É o seguinte: "violência" é uma palavra que pode gerar confusão. Se falarmos de violência no sentido da força de uma pancada - sim, é violento. Um soco de um peso-pesado ou um peso-médio pode ser violento. Um chute ou uma joelhada bem encaixados pode ser violento. Tanto quanto uma cobrança de falta no futebol, que se a bola pegar no rosto de um jogador, arranca tanto ou mais sangue. Um saque de vôlei, onde a bola acerta o rosto do jogador, pode quebrar o osso nasal. E assim por diante. 

Agora, se falarmos de violência no sentido moral - não, o MMA (Mixed Marcial Arts) não é violento. Os lutadores são altamente preparados; assinam contratos; antes de entrarem no octógono, já sabem pelo que poderão passar. 

Querem saber o que é violência? É o pai-de-família (?) que chega bêbado em casa e espanca a mulher e os filhos. Violência é trabalho infantil e escravo. Violência é esse estupro moral que o nosso governo nos faz quando nos cobra 4 meses de trabalho no ano somente para pagar imposto. 

Enfim... MMA é um esporte baseado em artes marciais. É um esporte de contato, e como tal, oferece um risco a integridade física do praticante (qualquer esporte oferece esse risco. Qual-quer-um). 

Esses "crentões" emo não conseguem enxergar a genialidade dos golpes, a excelente disciplina ensinada nas artes marciais, o respeito entre lutadores antes e depois da luta e o trabalho social desenvolvido dentro das favelas pelos lutadores que tiram jovens das drogas e da miséria. Tem muito atleta de MMA que sangra dentro do octógono para não sangrar nas mãos de traficantes, graças ao excepcional trabalho dos lutadores.

Portanto, se não gosta de assistir, não assista. Mas não me encha o saco. 

Não aguenta? Bebe leite!!!


ganhar dinheiro




***

Nenhum comentário:

Postar um comentário