CineReforma - Em Defesa de Cristo

CineReforma - Em Defesa de Cristo

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Sobre Crentes e Política



por Rodrigo Toledo

Sempre acreditei que crente deve ter características de ovelha (para com Deus e irmãos em Cristo), mas com cérebro e senso crítico de humano. Li essa semana em um blog: "tá cheio de crente com cérebro de ovelha por ai". Infelizmente essa afirmativa procede, e  pude testemunhar disso nessas eleições, onde a massa evangélica sequer preocupou-se em procurar um candidato a altura do cargo a que concorre, mas pelo contrário, vendeu seu voto para o primeiro que apareceu doando dentadura para avó, ou um caminhão de areia para construção de seu muro. Ouvi dizer de um grupo de jovens crentes que vendeu seus votos por algumas camisas de time de futebol. E assim caminha a política nesse nosso brasilzão tupiniquim.

Pois é, cara-pálida. E a coisa só piora no segundo turno. Tem tele-pastor defendendo candidato a prefeitura de uma grande cidade  que, em tempos de outrora, distribuiu um kit gay pior do que esse veiculado como se deu a conhecer. 

E a bizarrice não pára por aqui. Esse mesmo candidato, defendido pelo pretenso pastor, está prometendo liberar os alvarás das igrejas irregulares... Pode imaginar isso? Liberar alvará de funcionamento para igrejas sem segurança, sem acessibilidade, barulhentas e sem acústica, sem as normas dos bombeiros, em locais impróprios... Enfim, umas "ratoeiras" sujeitas a ter o teto caindo e fogo lambendo por problemas elétricos - sem porta de emergência- etc. 

É nesse ponto que paro e penso: o que se passa na cabeça dos eleitores membros dessas igrejas, que irão votar nesse candidato?  Aqui vai a resposta: "Beleza! Pagando o dizimo, que mal tem?! Não falta grana para a bateria e nem pra o datashow... Mas para a acústica... Bom, ferrem-se os vizinhos! Para o ar condicionado tem grana, para o quadro de luz... Enrola ai, meu. Deus protege!!! Se tiver calor, cai a oferta porque o povo vai pra praia! Então agente compra o ar condicionado, e deixa as normas de segurança pra lá! E se for coisa pior, se pegar fogo ou o teto cair, agente bota a culpa no diabo e tá tudo certo!".

E talvez, você esteja se perguntando se apoio o outro candidato. E eu respondo: NÃO, NÃO, NÃO, MIL VEZES NÃO!!! O outro é bem pior, e só não enxerga quem não quer. Demonstrou sua incompetência no Ministério da Educação, a saber: boa parte dos campi das universidades federais ficaram jogadas as baratas; a confusão no ENEM; e o anti-constitucional kit gay. 

Apesar de se apresentar como cientista político e professor, nem corou de vergonha a dar a seguinte resposta quando indagado sobre o escândalo do mensalão: “Em qualquer agremiação pode-se ter desvio de conduta. Isso vale para um partido, para uma igreja e até para uma família. A ética é um atributo individual, ela não se presta a coletivos.”  

Einh? O quê? Será que li direito? Então a ética não se presta a coletivos? Então posso classificar um esquema criminoso em benefício de um partido como desvio de conduta

Bem, eu, em minha ignorância, acreditava até o presente momento, que a ética é aplicável ao relacional e coletivo. Pelo menos foi o que aprendi em meu curso de teologia. Corrijam-me os filósofos e psicólogos de plantão. Ademais, também acreditava, talvez pela mesma ignorância, que classificar faltas graves como algo superficial e sem impacto configura-se sofisma. Corrijam-me os entendidos, se eu estiver errado. 

Esse segundo candidato, como disse Platão, é um purificador de opiniões, malabarista de argumentos mais sedutores que plausíveis.


***


Nenhum comentário:

Postar um comentário